Psyposer | Entrevista

template-chamadablogA partir de agora todo mês aqui no SUCO estaremos trazendo uma entrevista com um cosplayer super legal para vocês!

Para começar super bem, pensamos em ninguém mais ninguém menos do que Mauricio Somenzari, mais conhecido como Psyposer, cosplayer mundialmente conhecido por seus cosplays super elaborados e apresentações impecáveis.

FACEBOOK OFICIAL

Junto com sua irmã Mônica Somenzari, foram tri-campeões brasileiros e  bi-campeões mundiais lá no japão em 2006 e 2011, em um dos campeonatos mais importantes de cosplay de mundo, o World Cosplay Summit (WCS).

psyposer

Thranduil de Mirkwood / Elvenking da Saga Hobbit/O Senhor dos Aneis

Já deu pra ver que não estamos falando de qualquer cosplayer né?!

 

SDM: O que despertou seu interesse pelo cosplay? Com quantos anos fez o primeiro?

Olha, eu comecei aos 15 anos. Fui ao meu primeiro evento atrás de um VHS do filme de Sailor Moon SuperS! Quando cheguei no evento eu encontrei os cosplayers e fiquei encantado: Assisti ao desfile, conversei com os cosplayers e tive a certeza de que eu queria muito fazer parte daquilo tudo!

SDM: A maioria de seus cosplays para campeonatos são de games. Qual o motivo da preferência?

Bem, nós jogamos vídeo game aqui em casa desde que me conheço por gente! Meus pais eram viciados em Sonic do Master System, e com 7 anos eu jogava Mortal Kombat com o meu avô e daí pra frente né! Tivemos o Atari, Master System, SNES, N64, PS1, PS2, GBA, GBC, DS, 3DS, PSP e o PS3 agora!

Então é algo que temos uma ligação mais forte do que em relação ao anime e ao mangá! Além do mais, games dão uma sensação de poder desenvolver um pouco mais a apresentação! Pois geralmente o enredo não é tão amarrado como em um anime!

SDM: Como é sua relação com sua irmã na hora da escolha do “tema” para a apresentação. Algum de vocês opina mais ou sempre escolhem algum game/anime que agrade os dois igualmente?

Ah! A única “regra” é a de que nós nunca fazemos algo completamente desconhecido para nós! Ao menos um tem de gostar, e muito! Tentamos dosar, não tem um que opina mais que o outro! O que acontece é de um ver algo que gosta muito e mandar enlouquecido pro outro na hora, e daí vemos o que funciona melhor no palco!

Nós temos um estilo meio definido, não chega a ser uma “fórmula”, mas sempre apostamos no que somos melhores. A Mônica é mais forte e não gosta tanto de textos e interpretações; Já eu, sou mais performático e gosto de ter mais liberdade em cena! Querendo ou não, sempre acabamos enviesando o nosso olhar para séries e personagens!

SDM: Qual dica daria pra quem quer começar a fazer cosplay e se sair bem na caracterização do personagem?

A maior dica que eu dou pra TODO MUNDO que quer começar no hobby é, fazer com calma! Eu ando numa fase em que não funciono sob pressão! Não no meu HOBBY! Mesmo quando pensamos em competir, tentamos trabalhar com no mínimo 6 meses de antecedência! Tem de ser divertido, se não, não é um hobby né? Se estiver dando muita dor de cabeça, dê um tempinho!

SDM: Qual cosplay seu é o que mais lhe orgulha, e porquê?

Bem, são alguns, mas atualmente é o Griffith do mangá Berserk! Eu sonhei com este cosplay por 7 anos! Estudei muito, e só comecei quando me senti realmente pronto!

Quando completei, eu fiquei tão feliz! me sinto muito realizado com este cosplay e não faria nada diferente nele! Aprendi técnicas que vou aplicar em muitas áreas da minha vida e pude encarnar esse personagem que é tão importante para mim. Isso tudo, não tem preço!

SDM: Como é ganhar por duas vezes um campeonato tão importante como o World Cosplay Summit?

Hahahha é meio surreal sabia?
Pensar que eu era uma criança/adolescente que cresceu adorando o Japão e que nunca teve condições de ir pra lá e ter conseguido conhecer o país que eu admirava demais através do hobby que eu mais gosto?

Foi surreal! 
Isso lá em 2006! Depois veio 2011 e foi tipo “UAU como assim? Conseguimos!” E agora 2013 que voltamos pela terceira vez para representar nosso país!

O fato é que eu gosto MUITO de me apresentar. É algo que me deixa feliz e realizado! A gente não tem a noção do quão grandioso é tudo, até a poeira baixar e ver que estávamos do outro lado do mundo competindo com gente de toda a parte! Os títulos são a coroação de muito esforço meu e de nossa família e amigos!

Tudo o que fazemos, fazemos do zero, fazemos em casa, em família, e isso me dá um orgulho imenso!

SDM: Para você, cosplay seria um hobby, uma arte, um passatempo, algo que leva muito a sério (afinal estamos nos referindo a um bi campeão mundial) ou de tudo um pouco?

Cosplay é um hobby! Não sou a favor de dizer que é uma arte…. é um Hobby que faz uso de várias artes. Eu não consigo “levar a sério”, como se fosse “serious business”, simplesmente porque NÃO É GENTE! É um bando de gente doida de peruca e reboco na cara querendo ver quem se assemelha mais a um amontoado de pixels ahhahaha!

Tem de ser divertido e é algo que eu me repito sempre! “enquanto tá divertido, está valendo” se começa a dar mais encrenca que a minha carreira, ou vida pessoal, eu geralmente dou um tempo, ter de “extravasar” do próprio hobby é fogo né!

SDM: Para um cosplay ser considerado bonito e bem representado, na sua opinião, ele tem que ter quais características?

Hmm… Eu acho que tem de convencer. É o que eu sempre digo: “Você não precisa estar 200% FIEL ao traje! às vezes as coisas são incríveis no papel, mas na hora de transcrever em tecidos/armaduras/acessórios, simplesmente NÃO FUNCIONA!”

Tanto em Cos quanto em Play! Gosto de ser convencido de que aquilo é real! Uma apresentação, por exemplo, não precisa ter efeitos complexos, mil trocas de roupa, lança confete (poc), glitter, talco e metros de panos!

Pelo contrário! Uma apresentação tem de me convencer que eu to ali, naquela cena, que o personagem está falando comigo ou que eu estou no meio daquela ação toda! Independente de ter um milhão de macaquices mal ensaiadas!

SDM: Qual foi o cosplay mais trabalhoso que fez?

Foram alguns! O Griffith foram 9 meses de trabalho, a armadura era dificílima e foi toda moldada em acetato! O Summoner de Final Fantasy 14 tinha MUITO bordado: Foram 7000 pérolas aplicadas à mão e técnicas de envelhecimento e pinturas. O Vladimir do League of Legends tinha uma costura bem complicada e a peruca toda montada! O Sora do Opera- Aurora, tinha mais de 850 detalhes traçados, recortados, pintados, re-pintados e aplicados um a um, fora que foram mais de 15 metros de tecido! O Emperor Palamecia de Final Fantasy 2: Dawn of Souls, foram 2 anos pra ficar pronto! além das 6 asas eram 4 chifres e a roupa foi bem detalhada!

Deixo esses aqui como mais trabalhosos!

SDM: Complete a frase: ser cosplayer é…

Se divertir, aproveitar as portas que o hobby abre! Sejam de aprendizado, sejam de contatos, sejam de amizades!

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Cosplay, Matérias, Suco Entrevista

Uma resposta para “Psyposer | Entrevista

  1. O Psy diva de mais XD! Muito boa a entrevista!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s