Destiny | Review

SITE_Template35

Destiny
Bungie
PS3 – PS4 – Xbox 360 – Xbox One
Ação RPG / FPS
Setembro, 2014

VITAMINADO

VITAMINADO

Por Paulo Victor

Destiny é a nova franquia de jogos desenvolvida pela Bungie, criadora do megasucesso Halo, e publicado pela gigante Activision, mais conhecida como Publisher da série Call of Duty. Assim como seu predecessor, Destiny é um jogo de tiro em primeira pessoa, mas que conta com elementos de jogos multiplayer massivos – MMOs.

Falar sobre o jogo é uma tarefa ingrata. Desde o começo Destiny foi concebido para ser uma nova franquia de peso, especulando-se que a Activision tenha previsto investir 500 milhões de dólares na nova franquia ao longo dos anos. Antes mesmo do lançamento houve um investimento maciço em divulgação que, acrescido da reputação da Bungie por ter criado um jogo que revolucionou os jogos de tiro em primeira pessoa, gerou um hype gigantesco em cima do que ele viria a ser.

Infelizmente Destiny não correspondeu à expectativas criadas, falhando em alguns pontos, mas nem por isso ele é um jogo ruim. Muito pelo contrário, por mais que não seja o jogo perfeito, Destiny acerta em tantas coisas, ou mais, do que falha, tornando um jogo extremamente agradável e viciante.

destiny

Imagem Divulgação

História

A história do jogo se passa aqui em nossa galáxia. Em um futuro não tão distante, a humanidade ao explorar o espaço acaba encontrado algo chamado “O Viajante”, que desencadeia nossa Era de Ouro, com a descoberta de novas tecnologias e a colonização dos planetas próximos à Terra.

Porém, com a vinda d’O Viajante, veio também “A Escuridão”, que destruiu as colônias humanas sobrando apenas a Ultima Cidade na Terra. O seu personagem é um Guardião, um guerreiro forjado na Luz do Viajante e que pode usar a Luz como arma contra as forças da Escuridão. Seu objetivo é proteger a Cidade e salvar a humanidade da destruição.

E é basicamente só isso. A história em momento algum do jogo é desenvolvida. Há algumas raças alienígenas nas quais seu personagem luta contra, há duas raças além da humana na parte dos aliados, mas nenhuma delas é explicada e desenvolvida.

Seu personagem é levantado dos mortos sem saber como, por um robozinho chamado Fantasma que você não sabe o que é e tem que atirar em tudo que aparece pela frente sem saber o porquê, até que o jogo acaba com a famosa frase “esta guerra ainda não acabou”.

Há poucas cenas não interativas elas não fazem muito para explicar o universo do jogo. Porém, durante o jogo você pode coletar Fantasmas mortos que desbloqueia um grimório. Neste através dele é possível saber um pouco mais sobre o universo do jogo através de cartas desbloqueáveis. Matar um determinado número de inimigos ou com uma determinada classe também desbloqueia novas informações. Não é muita coisa, mas dá pra perceber que o potencial ta ai, mas que não foi bem explorado.

Assim, a história é o ponto mais fraco do jogo. Mas onde a história peca, a mecânica brilha.

Imagem Divulgação

Imagem Divulgação

Jogabilidade

Como já dito, Destiny é um jogo de tiro em primeira pessoa, mas há também elementos de RPG. O jogador pode criar seu Guardião em três raças distintas, em ambos os sexos, masculino e feminino. Essas mudanças são meramente estéticas e não influenciam o gameplay em nenhuma maneira. Há diversas opções de customização da face do personagem que, embora não sejam tão detalhadas como Dragon Age, por exemplo, fazem um bom trabalho.

Além disso é possível escolher entre três classes distintas, Arcanos, Caçadores e Titãs. As classes não possuem diferenças gritantes entre si, mas elas estão presentes e da pra sentir a diferença de jogar com cada uma delas. Embora todas as classes possam usar de forma igual todas as armas do jogo, cada uma delas possuem granada, saltos, golpes físicos e especiais diferentes. Cada classe possui armaduras diferentes também, mas a diferença maior é estética, apesar de haver maior classe de defesa em uma do que outra.

Cada classe é dividida em duas subclasses diferentes, cada uma com sua granada, salto, golpe físico e especiais diferentes. A primeira vez que o jogador estiver jogando, a subclasse somente é desbloqueada ao atingir o level 15, mas uma vez feito com um personagem, os demais podem escolher qualquer das subclasses desde o início.

As armas são divididas em três categorias, primárias, especiais e pesadas, cada uma com um tipo de munição diferente. As armas primárias são os Rifles Automáticos, Rifle de Pulso, Rifle de Batedor e Canhão de Mão. As especiais são as Escopetas, Rifle de Fusão e Rifle de Precisão. E as pesadas são os Lança Foguetes e Metralhadoras Pesadas.

Cada uma das armas tem status diferentes e as especiais e pesadas podem possuir três tipos de danos elementais, fogo, arco e vácuo. Cada um desses funciona melhor em um tipo de inimigo.

Além dos tipos, as armas são divididas em categorias, as normais, incomuns, raras, lendárias e exóticas. A partir das incomuns as armas possuem habilidades especiais que são desbloqueadas com experiência e compradas usando lúmen, a moeda do jogo, e materiais coletado nos planetas. As exóticas e lendárias são as melhores armas do jogo, sendo que as exóticas geralmente tem alguma habilidade que diferencia mais das demais armas, mas como lado negativo, você só pode usar uma arma exótica ao mesmo tempo. Se quiser usar um rifle de fusão exótico no slot especial vai ter que trocar seu rifle automático exótico do slot primário.

Já as armaduras são divididas entre capacete, luvas, peitoral, botas e item de classe. Eles também seguem a ordem de hierarquia das armas, podendo ser comum, incomum,raro, lendário ou exótico. Os exóticos também a mesa restrição das armas, de forma que seu guardião somente pode ter equipado uma armadura exótica. Os itens de classe são diferentes para cada classe e tem função meramente estética.

O modo história funciona por capítulos e sub capítulos. Os capítulos são planetas que possuem um mapa só gigante por planeta, e os sub capítulos são as missões dentro dos diversos espaços desse planeta. Há quatro capítulos distintos com diversas missões. As missões são divididas em principais, secundárias, assaltos e patrulha. Todas as missões podem ser feitas em grupo de até 3 pessoas e os assaltos são missões maiores obrigatoriamente multiplayer que tem um sistema de matchmaking.

Ao atingir o level 20, o jogo muda consideravelmente. A partir daí são desbloqueados os equipamentos lendários e exóticos e seu personagem para de evoluir com experiência. Para chegar ao level máximo do jogo, o personagem deverá conseguir equipamento com o atributo “Luz”. Quanto maior esse atributo,maior o level, até chegar no máximo de 30. Equipamentos lendários dão no máximo 27 de luz, podendo o guardião chegar até o máximo do level 28. Equipamento exótico dá até 30 de luz, que junto com outros três lendários o leva até o level 29. Para chegar no último level é necessário um equipamento lendário que somente é obtido fazendo a Incursão.

A partir do level 20 são desbloqueado as missões heroicas, que são as mesmas missões do modo história, só que com dificuldade elevada. Há uma missão heroica por dia, um assalto heroico por semana e o assalto heroico semanal tem uma versão épica chamada “Anoitecer”. Além disso, a partir do level 24 é desbloqueada a Incursão que é uma missão única para seis jogadores, e também o ponto alto do jogo.
O ponto negativo é que essas missões não possuem sistema de matchmaking, ou seja, elas são feitas para vários jogadores, mas o jogo não forma um esquadrão com as pessoas que querem jogar, você precisa formar seu próprio esquadrão para jogar essas missões acompanhado, o que torna o jogo pouco atraente para quem não tem amigos jogando.

screens #5

screens #5

As missões em si seguem basicamente a mesma fórmula: vá até “x”, defenda o local enquanto seu Fantasma analisa “y”, mate “z”. Porém as mecânicas são bem desenvolvidas e recompensadoras. É sempre muito gosto atirar nos inimigos. Tudo é muito bem feito e polido. Com exceção de alguns bugs, principalmente relacionados à conexão, jogar Destiny é sempre muito gostoso.

Além do modo cooperativo, há também o competitivo no Crisol. Lá você poderá enfrentar adversários em grupos de 6v6 livre, 6×6 em controle, 3×3 ou free for all. Há também um outro modo mas que é por temporada, e eu não tive a oportunidade detestar até o presente momento.

Muito embora este redator não tenha muita experiência em jogos competitivos online, achei muito agradável o PVP do Destiny. No geral não tive problemas de lags, com algumas exceções e achei relativamente equilibrado, na medida que os benefícios de level são desabilitados. É claro que há armas mais fortes que outras, mas algumas desigualdades gritantes foram corrigidas através de patchs.

Imagem Divulgação

Imagem Divulgação

Parte Técnica

Na parte técnica o jogo é impecável. Ao menos na versão testada, que é a de Playstation 4. A direção de arte é incrível e os gráficos na nova geração são muito bonitos. Talvez não sejam os mais bonitos, mas são muito agradáveis de ver.

A parte sonora não fica atrás. A trilha sonora é composta pelo veterano do Halo, Martin O’Donnell, e conta com uma música cantada pelo Beatle, Paul McCartney. A trilha sonora original é incrível e se destaca no meio da jogatina. Não foram poucas vezes que eu ou os membros do esquadrão comentamos sobre a música que estava tocando.

Os efeitos sonoros são bem convincentes, com belos sons de tiros e explosões. Já a dublagem foi bem controversa. Na maior parte do tempo você vai ouvir apenas o seu fantasma, que em inglês é dublado pelo ator Peter Dinklage, o famoso Tyrion Lannister na série Guerra dos Tronos. Porém a dublagem não foi das mais bem recebidas. Muito talvez seja pelo fato do personagem que ele dubla ser um robô, mas ainda assim ficou aquém do esperado.

Conclusão

Destiny é como uma pedra preciosa bruta. Não tem o valor de uma pedra lapidada, mas o potencial está lá. A história é fraca e as missões repetitivas, mas a mecânica é tão bem trabalhada que te faz ignorar os problemas e continuar jogando vez a após vez.

Não é o jogo perfeito, mas definitivamente vale a pena jogar. Muito embora o jogo possa ser jogado em sua maioria sozinho, ele realmente brilha nas missões cooperativas, de forma que é recomendado jogar com os amigos. Mesmo que não tenha amigos jogando, há uma comunidade bem grande e é possível achar na intenet diversos parceiros de jogo para se divertir junto.

Curte um jogo de tiro em primeira pessoa? Dê uma chance a Destiny.

Prós

+ Mecânica de jogo excelente
+ Divertido a ponto de te fazer querer jogar
+ Missões heróicas semanais e Incursão

Contras

– História fraca
– Missões repetitivas


 

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Análises, Games, Matérias, Reviews

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s